Cuidados com cabelo em transição

Se você já ouviu falar sobre a transição capilar, sabe que esse é um momento difícil e que pode ser bastante delicado na vida das mulheres. Por isso, se você decidiu enfrentar essa mudança, é bom conhecer os cuidados com cabelo em transição para ter melhores resultados.

Pois bem, para quem não sabe, transição capilar nada mais é do que o período em que uma pessoa decidi abandonar os tratamentos químicos que eram realizados no cabelo, para poder dar espaço ao cabelo natural, que pode ser crespo, cacheado ou ondulado.

Essa etapa é chamada de transição, visto que o cabelo ainda tem partes com química, que se misturam a partes naturais, apresentando duas diferentes texturas.

Assim, não é incomum que ele fique mais difícil de controlar e também mais sensível, sendo essencial procurar alternativas para que ele fique mais forte e menos sensibilizado.

A transição é um processo mais comum em mulheres, mas também pode ser feita por homens que costumavam usar química.

Então, vamos conhecer quais são os cuidados com cabelo em transição que você deve adotar:

  • Corte

Quando você desiste da química, os cabelos novos que estão crescendo irão ficar completamente naturais, fazendo com que seus fios ganhem uma textura que ainda é indefinida.

Independentemente do seu processo de crescimento, que pode ser mais rápido ou mais lento, a parte que era alisada só vai sair na tesoura mesmo.

Isso não significa que você tenha que fazer um mega corte para tirar todo o cabelo quimicamente tratado de uma só vez. No entanto, é essencial fazer cortes periódicos para ter melhores resultados.

  • Nutrição

Quem está restaurando seus cabelos cacheados preciso saber que hidratação e nutrição são fundamentais. Por isso, vá testando produtos e tratamentos, para entender quais são os que funcionam melhor para você.

Realizar a umectação com óleos vegetais também é ótimo, sendo que o óleo de coco é um dos mais utilizados. Um ótimo produto para nutrir e fortalecer os cabelos é o hair power, ele ajuda a melhorar a qualidade dos fios e diminuir a queda.

  • Shampoo e condicionador

Mesmo que você faça tratamentos profundos, como a umectação, é muito importante escolher com o que vai tratar os cabelos no dia a dia. Isso porque os produtos utilizados devem estar de acordo com o seu período de transição.

Assim, opte por aqueles que ajudem a limpar e hidratar os cabelos com suavidade, para cuidar dos novos cachos que estão chegando.

  • Texturização dos fios

Para a fase em que os fios ainda apresentam duas texturas, a dica é nunca deixar a finalização de lado. Dessa forma é possível deixar os cachos mais definidos e bonitos, além de mantê-los por mais tempo.

As técnicas de texturização são muitas, mas a regra é a mesma: sempre experimente para saber o que melhor se adapta às suas necessidades!

 

Dicas para se prevenir e tratar a próstata aumentada

Se chegou até aqui a procura de dicas para se prevenir e tratar a próstata aumentada, então, veio ao lugar certo. Confira tudo isso nesse artigo.

A hiperplasia prostática ou próstata aumentada, é um inchaço na glândula, obstruindo parcialmente ou totalmente a uretra.

Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) feita com mais de 10 mil homens em 11 estados brasileiros, 65% deles têm indícios de próstata aumentada, e no mundo todo esse número chega a 72%, o que é bem preocupante.

Vale saber que a chance de um homem apresentar próstata aumentada dobra a cada década do homem, sendo a doença mais comum da próstata.

Embora a doença comece silenciosa, ela vai aumentando, aos poucos, a frequência de urinar e, com o tempo, acaba causando dor e uma sensação de que a bexiga nunca se esvazia, interferindo na qualidade de vida do homem.

Sem dúvida, o principal sintoma da próstata aumentada é o aumento da frequência para urinar.

Principais causas da próstata aumentada

Dentre as principais causas que favorecem o crescimento da próstata, estão:

  • Diabetes,
  • Fatores genéticos,
  • Obesidade
  • Tabagismo

Por isso, é tão importante procurar levar uma vida saudável, com uma alimentação equilibrada e com a prática regular de exercícios físicos.

Como prevenir próstata aumentada

Existem formas, sim, de prevenir, ou diminuir as chances de ter o problema como, primeiramente, procurando ir ao urologista frequentemente, após os 40 anos.

Outra dica para prevenir é procurar levar uma vida mais saudável, apostando em uma alimentação equilibrada e evitando álcool e cigarro.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da próstata aumentada é feito pela história clínica do paciente e através do toque retal.

Em alguma casos, ainda, é necessário realizar alguns outros exames, como o ultrassom e o estudo urodinâmico.

Como tratar próstata aumentada

Nos casos mais leves da doença, é possível seguir um tratamento com medicamento.

Infelizmente, 30% dos pacientes com próstata aumentada precisam recorrer à cirurgia para reduzir o tamanho da próstata. Por isso é super importante prevenir, e o melhor suplemento natural para prevenção do doenças de próstata é o evo prost, além dele prevenir, ele ainda trata algumas doenças de próstata.

A cirurgia pode ser tradicional e a laser.

Enquanto na cirurgia tradicional é preciso fazer a ressecção transuretral convencional, para retirada de um fragmento da próstata pela uretra.

Na cirurgia a laser, que é o tratamento mais avançado no Brasil, ela é feita vaporizando a próstata. Por não ser uma cirurgia invasiva e sem limite para o volume de próstata, aumenta o número de pessoas beneficiadas pela cirurgia.

Tratamento natural

Vale considerar que, além do tratamento com medicamentos, é possível recorrer á natureza, utilizando extratos naturais para ajudar a aliviar mais rapidamente os sintomas da próstata aumentada.

Mas, atenção, este tipo de tratamento não deve substituir o tratamento indicado pelo médico, devendo apenas completá-lo para aliviar os sintomas.

Impotência Causada Pela Ansiedade

A impotência sexual, que também é chamada de disfunção erétil, é um problema que se caracteriza pela falta de uma ereção satisfatória que seja suficiente para que haja a penetração.

Vale lembrar que isso não se aplica a falhar ocasionais, que podem acontecer com qualquer pessoa ao longo da vida. Pelo contrário, a impotência é configurada quando ocorre em até 50% das tentativas de relação sexual.

De acordo com especialistas, uma das principais causas dessa condição, especialmente em jovens, é justamente por problema emocionais, representando cerca de 70% de todos os casos. Já os outros 30% são causados por disfunções orgânicas mesmo, que podem ser hormonais, vasculares a anatômicas.

A ansiedade, por sua vez, é a causa emocional que mais atua bloqueando os mecanismos envolvidos na ereção. Assim, o homem pode ter medo de falhar ou se sente inibido ao se relacionar com alguém especial.

A falta de controle sobre a ejaculação também pode ser considerada um problema nesse sentido, visto que pode haver um grande medo de ejacular muito rapidamente, de não conseguir dar prazer à sua parceira ou de não obter a penetração que acha ideal.

Todas essas situações podem criar uma grande ansiedade, que é tão grande que acaba ocasionando a falha que tanto foi temida.

Mais do que isso, também somam-se estresses da vida, problemas financeiros e outras questões que vão se somando e afetando a calma e o bem-estar de um indivíduo.

Não é possível esperar que uma pessoa que está cheia de problemas ainda tenha disposição para criar um clima e ter aquela ereção no fim de um dia de trabalho.

Tratamento da impotência sexual por ansiedade

Nos casos em que a impotência sexual acontece por questões físicas, como falhas nos nervos que estimulam o órgão sexual, o tratamento mais indicado é a autoinjeção ou até mesmo o v8 big size que é um gel que ajudar a ter e manter uma ereção.

Nesse caso, o próprio homem irá injetar nos corpos cavernosos alguma droga que promova a vasodilatação do pênis, possibilitando a entrada da quantidade necessária de sangue.

O efeito é bastante rápido e é possível ter uma ereção em até 5 minutos depois da aplicação.

Já nos casos da impotência emocional, causada por ansiedade, é possível iniciar também um tratamento de psicoterapia em conjunto com o uso de medicamentos, que é a abordagem que vem se mostrando mais eficiente nos últimos tempos.

Nesses casos, o uso de medicamentos é apenas uma parte do processo de tratamento, que deve ser multidisciplinar, de forma a abordar o quadro como um todo e sempre com o acompanhamento de um especialista.

Diabetes: Sintomas, causas e tratamentos naturais

A diabetes é uma doença metabólica que ocorre quando a glucose no sangue excede os níveis normais (hiperglicemia) causando uma deficiência de insulina .

Neste artigo você vai ficar conhecendo melhor tudo sobre esta doença, continue lendo para ver:

Formas de diabetes e sintomas

Quando a glicose no sangue excede os níveis normais ( hiperglicemia ), causando deficiência de insulina, ocorre alteração metabólica conhecida como diabetes .

O termo “glicemia” significa a glicose que circula no sangue; valores normais variam entre 70 e 110 mg / dl. Um aumento desses valores basais acima de 120 mg / dl, em três controles sucessivos, é indicativo de uma patologia diabética.

Existem duas formas diferentes do distúrbio: diabetes dependente de insulina ou tipo I e diabetes não dependente de insulina ou tipo II. No primeiro caso, somos confrontados com um distúrbio que afeta pessoas em tenra idade que, subitamente afetadas pelo distúrbio, mostram a emissão de quantidades abundantes de urina, sede excessiva, perda de peso e fadiga .

A primeira manifestação desse tipo de diabetes é chamada ceto acidose, uma situação clínica que ocorre quando, na ausência de insulina, o corpo começa a usar massivamente os ácidos graxos para obter energia e acaba gerando produtos tóxicos, os chamados corpos cetônicos.

A diabetes tipo II em vez ocorre geralmente após os 40 anos de idade, especialmente em pessoas com problemas de peso . O diabetes não insulino-dependente evolui lentamente e está associado à resistência dos tecidos periféricos à ação do hormônio.

Principais Causas

As causas do diabetes podem ser múltiplas e variar de acordo com o tipo. No diabetes tipo um, há um componente genético a não ser esquecido: nesses casos, de fato, existe uma predisposição inata para o desenvolvimento da doença.

No entanto, o diabetes tipo 1 é sempre desencadeado por um fator externo, que na maioria dos casos envolve infecções virais , que desencadeiam uma resposta autoimune.

Na diabetes tipo 2, o componente genético tem um valor ainda maior, mas também neste caso o aumento do peso corporal tem um impacto notável , o que contribui para diminuir a funcionalidade das células pancreáticas devido ao aumento na síntese de triglicerídeos. Por esse motivo, a perda de peso e a atividade física, neste caso, são de importância primordial.

Diagnóstico

O diagnóstico de diabetes parte da análise dos sintomas , que no caso do diabetes tipo 1 são muito evidentes e de interpretação imediata. O teste de diagnóstico para verificar a presença da doença, no entanto, é a dosagem de glicemia , realizada através de exames de sangue.A amostra deve ser colhida em laboratório, após pelo menos oito horas de jejum e os resultados mostram se:

  • Não há diabetes (valores abaixo de 100 mg / dl);
  • Há alteração da glicemia, porém não associada ao diabetes (valores entre 100 e 126 mg / dl);
  • O diabetes é confirmado (acima de 126 mg / dl).

Cuidados naturais para Diabetes

A dieta de quem tem diabetes deve ser estritamente com um baixo índice glicêmico , com base em uma ingestão adequada de grãos integrais (em grãos e flocos, exceto arroz, com exceção do arroz basmati, que possui um Índice Gilcêmico de 58 comparado a 90% arroz branco).

Os alimentos ricos em fibras são muito bons para os diabéticos, diminuindo o nível de gordura no sangue e ajudando a obter uma sensação de saciedade ampla, são exemplos o trigo integral, cevada, aveia e legumes.

Por esse motivo, também pode ser útil tomar suplementos naturais como o GC99 que é um dos melhores.

Evite gorduras saturadas como manteiga, laticínios, ovos e carnes gordurosas, que entopem as artérias.

É aconselhável reduzir o consumo de proteínas, sal, doces e aumentar a ingestão de alho, cebola, alho-poró , chalotas , alface, crucíferos, abacate, sementes de feno-grego, sementes de lótus, canela, zimbro, pimenta preta, brotos alfa-alfa, gengibre , coentro, lavanda, limão, manjerona doce, laranja.

Remédios fitoterápicos para Diabetes

Os remédios à base de plantas são úteis apenas no caso de diabetes tipo II , uma vez que o tratamento tipo I envolve terapia de reposição de insulina com a qual as preparações fitoterapêuticas podem interferir.
Associados a dieta e atividade física regular, as seguintes plantas e fitoterápicos são bem úteis:

    • Eucalipto
    • Mirtilo

A camomila ( Matricaria recutita L ) foi sempre apreciadas pela sua capacidade de calmantes – tem propriedades anti-inflamatórias, curativas, anti-espasmódico, anti-alérgica, anti-bacteriana, de redução do ruído – e calmantes, mas também pode servir para regular o nível de açúcar no sangue.

Dores articulares como tratar

As dores articularas nada mais são do que uma sensação de desconforto, incomodo e dor em uma ou mais articulações do corpo, também chamadas popularmente de juntas.

Elas podem acontecer havendo movimentação ou não e, em alguns casos, podem ser tão intensas e severas que até limitam os movimentos.

De uma forma geral, as dores articulares podem ser descritas como incomodo, inflamação, desconforto, queimação ou rigidez nas juntas.

Para quem não sabe, as articulações são estruturas bastante complexas, que servem para unir as extremidades dos ossos, elas são compostas por cartilagem, ligamentos, membrana sinovial, tensões e bursas.

É somente por causa das articulações que podemos movimentar e dobrar o nosso corpo em diversos locais. É justamente por causa dessa grande possibilidade de movimentação que não é incomum ter dores nesse local.

Tratamento para dores articulares

Pois bem, primeiramente é importante descobrir qual é a causa da dor articular. Isso porque ela pode ter uma enorme variedade de causadores, tais como:

  • Condromalácia patelar
  • Hepatites
  • Doenças infecciosas
  • Gripe
  • Doença de Lyme
  • Doenças autoimunes
  • Gota
  • Caxumba
  • Febre reumática
  • Lesões
  • Parvovirose
  • Rubéola
  • Tendinite
  • Artrite séptica

Como você já deve imaginar, o tratamento irá depender unicamente da causa, afinal, não se trata uma infecção da mesma forma que se trata uma lesão, por exemplo.

No entanto, o fato é que existe uma grande variedade de medicamentos e suplementos naturais como o flex caps que podem ser utilizados para dores articulares, de acordo com o diagnóstico dado pelo médico.

É justamente por esse motivo que somente um especialista é que pode determinar qual o medicamento mais indicado para cada caso, bem como a dosagem e a duração do tratamento.

Mesmo assim, os medicamentos mais comuns para aliviar as dores articulares são os seguintes:

  • AAS
  • Anador
  • Aspirina
  • Cataflampro
  • Dipirona
  • Dilofenaco
  • Dolamin
  • Flanax
  • Dorflex
  • Lisador
  • Ibupril
  • Nimesulida
  • Meloxicam
  • Mioflex
  • Mioflex A
  • Paracetamol
  • Outros

O mais importante de tudo é sempre seguir a recomendação médica para que seja possível ter um tratamento bem sucedido e se livrar das dores articulares.

Mais do que isso, existem alguns outros cuidados que podem ser tomados, tais como:

  • Fazer exercício físico para manter o corpo funcionando e aumentar o tônus muscular, que ajuda a suportar a carga, aliviando as articulações.
  • Mudar a alimentação, consumindo mais alimentos ricos em cálcio e Vitamina D.
  • Não passar tanto tempo sentado, visto que o uso das articulações ajuda a lubrificá-las, melhorando sua eficiência.
  • Parar de fumar, visto que esse hábito leva a diminuição da massa óssea, enfraquecendo as juntas
  • Dar descanso aos pés, visto que o uso de altos causa uma sobrecarga exagerada apenas nos dedos do pé, podendo causar dores crônicas.
  • Alongar-se com frequência, para manter a flexibilidade do corpo.
  • Fazer massagens a fim de liberar tensões musculares
  • Controlar o peso, a fim de evitar sobrecargas nas articulações

Combine dieta e exercícios para emagrecer

Vou começar este artigo sendo bem honesta: para perder peso e estar em forma, você não precisa se exercitar.

Coma menos calorias do que consome e perderá peso, mesmo que o que você coma seja uma porcaria. Não há mais segredos. No entanto, lembre-se de que ser magro não significa ser saudável. Se você comer apenas 3 rosquinhas por dia, perderá peso, mas poderá morrer jovem.

Eu gostaria que todos fôssemos saudáveis, porque acho que o mundo seria um lugar melhor. Além de estarmos cercados por garotas de bunda dura e garotos com barriga tanquinho, seríamos mais felizes, viveríamos mais e o governo gastaria menos em saúde.

Para ficar realmente em forma (e perder peso ao mesmo tempo), você deve seguir uma dieta e exercícios equilibrados. Se você comer bem, mas não se exercitar, ficará magro, mas fraco; Se você se exercita, mas come porcaria, ficará forte, mas doente. Somente combinando as duas coisas você obterá todos os benefícios.

Dieta

O que é uma dieta equilibrada? Cada pessoa e cada cultura tem uma opinião diferente, e eu não vou lhe dizer como comer. Minha recomendação é muito simples: coma mais coisas boas (frutas, legumes …) e menos coisas ruins (álcool, açúcar, farinhas refinadas …).

Exercícios

Se você deseja manter seu corpo em forma, é necessário fazer três tipos de exercícios regularmente:

  • Aeróbica (corrida, tênis, futebol …)
  • Flexibilidade (yoga, alongamento …)
  • Força (pesos)

Em geral, acho que as pessoas que praticam esportes regularmente fazem exercícios aeróbicos suficientes.

Em termos de flexibilidade, a maioria das mulheres geralmente pratica ioga, Pilates ou algo semelhante; Os homens tendem a ficar mais atrasados ​​nesse aspecto, e acho que um dia de yoga por semana pode ser muito benéfico.

Mas quero focar no terceiro tipo: força.

Se você quer perder peso, DEVE FAZER PESOS. Na verdade, sou da opinião de que, para perder peso, é melhor fazer pesos do que fazer cardio (embora o ideal seja combinar os dois). Deixe-me explicar o porquê:

Todos nós gastamos uma certa quantidade de calorias em repouso. Ou seja, embora estejamos deitados na cama, estamos gastando calorias. Essa quantidade depende, entre outras coisas, de quanto músculo temos. Quanto mais músculos, mais calorias.

O treinamento com pesos não apenas consome calorias no momento do exercício, mas aumenta o volume muscular, o que se traduz em aumento do consumo calórico em repouso. Se aumentarmos nosso gasto calórico em repouso em 100 kcal, isso significa 3000 kcal SEM FAZER QUALQUER COISA durante o mês.

O exercício aeróbico, por outro lado, geralmente reduz o volume muscular.

Os resultados do treinamento com pesos são imediatos. Vá ao ginásio 3 vezes por semana, levante-se com força e em menos de 10 dias você verá resultados.

Você não apenas verificará que agora pode levantar MUITO mais peso, mas quando se olhar no espelho, sentirá que começa a parecer como Rocky ou que seus braços começam a parecer os mesmos de Michelle Obama. Esse feedback positivo o levará a continuar.

Os resultados do exercício aeróbico, por outro lado, são muito mais lentos e difíceis de serem apreciados, pois geralmente são medidos pelo peso, que é um indicador que depende de muitos outros fatores.

IMPORTANTE : Se você é uma garota e acha que, ao fazer exercícios, se tornará como O Incrível Hulk, lamento dizer que você está errada.

Não apenas você não possui os hormônios necessários para desenvolver os mesmos músculos que um homem, mas ganhar músculos é NADA FÁCIL.

Olhe para os caras que freqüentam a academia regularmente e verá que muito poucos têm o corpo de Arnold Schwarzenegger, mesmo que tentem…